Superman e Batman Reatando!

Ou cadê o Antimonitor quando a gente precisa?

0
83

Não, não estamos falando das eternas, injustificadas e desnecessárias especulações de homoafetividade entre os dois personagens, afinal Batman e Mulher-Gato noivaram em Batman #36. A DC lançou um arco em duas partes na revista do Batman onde Superman e o morcegão retomam a amizade, estremecida por eventos anteriores (lembra quando Tony Stark e Steve Rogers romperam por conta da pseudo morte da Inteligência Suprema Kree? Pois é, que original hein, DC…?). O resultado? Mais novela mexicana, impossível!

Capa oficial de uma edição que podia estar apresentando algo bem melhor que melodramas de Barrados no Baile.
Capa oficial de uma edição que podia estar apresentando algo bem melhor que melodramas de Barrados no Baile.

O futuro do Universo DC nas mãos de Clark e Bruce? Como assim?!

O arco Superfriends, escrito por Tom King e desenhado por Clay Mann (que também assina a capa), tem sua conclusão na revista Batman #37, e tem como principal atração o encontro duplo entre Batman e Selina Kyle com Superman e Lois Lane, vendido como “o melhor encontro duplo do mundo”. Além disso, nenhum vilão memorável ou ameaça cósmica ou nuclear ameaça o Universo DC, e sim, o fato de eles retomarem ou não a amizade. Chora, Darkseid, você não é nada perto da quebra de amizade dos dois ícones do DCU!

Mais uma inútil capa variante que serve apenas para inflacionar o mercado do colecionismo e o ego de alguns.
Mais uma inútil capa variante que serve apenas para inflacionar o mercado do colecionismo e o ego de alguns.

Confira a sinopse da história, que ainda tem uma desnecessária e totalmente fora de contexto capa variante por Olivier Coipel (nada contra a bela arte) pra inflar o ego dos colecionadores ostentação:  “Rasgados pela traição, Batman e Superman tentam encontrar um caminho de volta para a amizade e confiança. Ambos entendem que o futuro do DCU depende dessa relação; ambos entendem que, sem a ajuda do outro, suas vidas se desmoronarão. Um ainda é o pobre menino rico e o outro ainda é o garoto da fazenda. Homens de dois mundos se confrontam e tentam ver a esperança por trás da loucura”.

A tendência clara e forçada de imitar o estilo de diálogo de cinema e TV que está cansando os leitores é muito presente aqui.
A tendência clara e forçada de imitar o estilo de diálogo de cinema e TV, que está cansando os leitores, é muito presente aqui.

Descontentamento em grande escala!

A matéria gerou controvérsias e alguns comentários hilários, que mostram como estas HQ’s estão decadentes e sem graça. Humanizar os personagens como Stan Lee fez na Marvel está muito distante do que a DC está fazendo. Que saudade das HQ’s bobas da Era de Ouro e Prata… Pelo menos ali a gente se divertia e não ficava entediado. Até mesmo o desenhista Clay Mann admitiu em entrevista ao Entertainment Weekly que não se sentiu desenhando um quadrinho do Batman.

Algumas histórias podem ter quadros sem texto. Aqui temos esse recurso usado maneira preguiçosa para encher mesmo linguiça tão somente.
Algumas histórias podem ter quadros sem texto. Aqui temos esse recurso usado de maneira preguiçosa para encher mesmo linguiça, tão somente.

Um balde de arrogância?

Comentários de fãs giram por aí, ironizando a HQ. Um deles falou ter aprendido nessa HQ que Lois Lane tem um baú de roupas maior do que a Mulher Gato.  Alguns reclamam de tanta reflexão numa HQ de super-herói. Outros concordam que a sinopse está horrível ao focar em elementos como “pobre menino rico” e dependência da amizade dos heróis para que o DCU não morra. Chegam a dizer que é um monte de mal entendidos e arrogância em um balde. Por fim, alguém se lembrou de perguntar qual vilão se encarregaria de acabar com a “festa” dos dois casais, e outro questionou desde quando Selina Kyle conhece a identidade do Superman.

Tão enfadonho que tentam chamar a atenção com personagens em roupas íntimas.
Tão enfadonho que tentam chamar a atenção com personagens em roupas íntimas.

Enfim, a revista está sendo vendida para leitura e download desde o dia de hoje, com 32 páginas ao custo de US $ 2,99. Com os diálogos enfadonhos e as contínuas tentativas de imitar um episódio muito ruim de Friends, eu não perderia meus dólares, caso os tivesse…

Deixe uma resposta