Star Wars – Mark Hamil: – Este não é o meu Luke Skywalker! #SPOILERS

0
94
Star Wars - Os Últimos Jedi

#TRETA – Mark Hamil: – Este não é o meu Luke Skywalker!

De acordo com o Screenrant, Mark Hamill explica suas diferenças criativas com Rian Johnson na história de Luke Skywalker em Star Wars: Episódio VIII – The Last Jedi.

Hamill interpretou Luke Skywalker na trilogia original de Star Wars (Ep. IV ao VI) de George Lucas, e retomou seu papel na 3ª trilogia da saga, recomeçada por J.J. Abrams em O Despertar da Força de forma muito tímida, mas continuando exatamente no ponto em que parou, no Ep. VIII – Os Últimos Jedi, de Rian Johnson.

Se Luke vai aparecer no Ep. IX, aí teremos que esperar para saber!

Star-Wars-The-Last-Jedi-Luke-Skywalker-BooksNo Despertar da Força, não estava claro o quanto de Hamil teria no filme. E quando descobriu que tudo o que ele fez foi aparecer como um “easter-egg” no final, muitos fãs ficaram desapontados – foi assim que Mark Hamill reagiu, riu do assunto ao longo do tempo por achar que tudo seria compensado em breve.

Mas teve as suas preocupações com a sequência de Johnson, cujo título ficou conhecido publicamente como “Os Últimos Jedi”.

No episódio VIII, o Luke Skywalker de Hamill se exilou em Ahch-to, a localização do primeiro templo Jedi. Ele viveu seus últimos dias naquela ilha e, eventualmente, sucumbiu à Força depois de enfrentar o Kylo Ren (e a Primeira Ordem) por meio de projeção – e esse é precisamente o problema que Hamill teve com a versão de seu personagem no filme.

Hamil:

“Disse para Rian ‘Os jedi não desistem’. Quer dizer, mesmo que ele tivesse um problema, ele teria, talvez, tirado um ano para tentar e reagrupar. Mas se ele cometeu um erro, ele tentaria corrigi-lo. Então, logo nisso tivemos uma diferença fundamental, mas não é mais a minha história. É a história de outra pessoa – Rian precisava que eu fosse de determinado jeito para tornar o final efetivo… Esse é o cerne do meu problema. Luke nunca diria isso. Desculpe. Bem, nessa versão – veja estou falando sobre o Star Wars de George Lucas. Essa é a próxima geração de Star Wars, então quase tive que encarar Luke como outro personagem. Talvez ele seja Jake Skywalker. Ele não é o meu Luke Skywalker, mas tive que fazer o que Rian queria porque serve bem à história. Mas escuta, ainda não aceitei completamente. Mas é só um filme. Espero que as pessoas gostem e não fiquem chateadas. Comecei realmente a acreditar que Rian era o homem certo que eles precisavam para o trabalho.”

Nota do DGEEK:

Ao assistir o filme, sentimos que o personagem ficou muito distante do Luke, confiante e firme como um aventureiro que aceitou o fardo de ser o último Jedi, após Obi-Wan e Yoda, e que conhecemos sendo formado entre os Ep. IV ao VI de George Lucas. Acreditamos que o caminho que foi escolhido para a passagem da tocha não tenha sido o mais adequado e que foi por muito pouco; ou um mero mal entendido o fator que desencadeou tudo isso entre ele, Kylo Ren e Snoke, com a Primeira Ordem. Damos total razão para Mark Hamil e sentimos muito que o seu personagem tenha finalizado a jornada desta forma. E por mais fod#@ que tenha sido a sua cena final, ela ainda não remete como desejamos à restauração do Luke que havíamos conhecido! #PRONTOFALEI

Você também pode curtir:

O que achamos de Star Wars: Os últimos Jedi? #SEMSPOILERS

Discord-DGEEK-Domain-Geek-chat-200x64Participe de nosso Discord e junte-se a outros fãs como você! Além de fazer amigos e trocar ideias, também jogaremos os melhores games do momento! #DGEEKNODISCORD

Compartilhar
Artigo anteriorCrise nas Infinitas Cores e nos Infinitos Duendes
Próximo artigoThe King of Fighters: Destiny – Assista agora ao 21° episódio!
Consultor de tecnologia especializado em soluções criativas, podcaster e produtor cultural. Fundador do PernambucoNERD.com, já realizou inúmeras ações no meio da cultura POP. Atualmente, trabalha em seu livro de RPG e nas ações do Domain Geek. O cara dos planos malignos! Gênio do mau, ele desenvolveu várias ideias que por alguma razão, nunca deram certo... Continua com o seu sonho de conquistar o mundo e depois decidir o que vai fazer com ele. Enquanto não está fazendo o papel do vilão, ele investe seu tempo em projetos produtivos de inovação e da economia criativa, afinal, todos precisamos de um hobbie! Profissionalmente, atua na Domain e trabalha com consultoria de T.I. Jogos: StarCraft, League of Legends, The King of Fighters, TEKKEN, Street Fighter, R-Type, WipeOut, Mega Man e Unreal Tournament.

Deixe uma resposta