Sete Estrelas – Um Quadrinho que não é pra qualquer um!

Ação, mistério e magia em escala cósmica!

2
389

Foi-se o tempo em que o quadrinho brasileiro implorava para ser lido. Não bastasse as críticas ferrenhas e descabidas de detratores gratuitos (entenda-se haters) e o descaso das grandes editoras com sua conversa infundada de “falta de qualidade”, “desenhos mal-feitos” e “não tem retorno financeiro”. O quadrinho brasileiro hoje dá um tapa sem mão na cara de todos esses preconceitos e argumentos descabidos.

Um pouco da história do personagem no blog/site HQ Quadriinhos.
Um pouco da história do personagem Sete Estrelas, cuja ficha pegamos no blog/site HQ Quadrinhos.

O mercado independente veio para mostrar às grandes editoras, ávidas pelo lucro fácil proporcionado pelo quadrinho estrangeiro na forma de comics e mangás, que o quadrinho brasileiro sobrevive sem a ajuda de sanguessugas. Aos apertos, com recursos próprios, sem incentivo ou com muito pouco, o quadrinho nacional independente só tem crescido e mostrado sua força.

O personagem tem suas raízes no folclore místico do sertão nordestino, carregado de crenças que proporcionam um personagem rico em background.
O personagem tem suas raízes no folclore místico do sertão nordestino, carregado de crenças que proporcionam um personagem rico em background.

Sete Estrelas é um destes quadrinhos. Não é qualquer quadrinho; não é um quadrinho que implora para ser lido, mas que te mostra que é você que precisa ler suas páginas. Mergulhar em um mundo de magia e mistérios arcanos estelares que cruzam os mais recônditos rincões do sertão brasileiro, onde tantos severinos perderam suas vidas nas mãos de coronéis que se diziam justos e verdadeiros!

Capa da revista Sete Estrelas pelos selos HQ Quadrinhos e Editora Universo.
Capa da revista Sete Estrelas pelos selos “HQ Quadrinhos” e “Editora Universo”.

Ah, e se engana se você acha que é mais um quadrinho bairrista de regionalismo barato que almeja exaltar a cultura brasileira, tão renegada pelo seu povo. A linguagem de Sete Estrelas é universal! Atravessa o cosmo, funde o sertanejo ao universo sem ser piegas ou propagandista. É uma HQ que o próprio Neil Gaiman se orgulharia de ter escrito, mas infelizmente para ele, Lancelott Martins e Maurício Ado chegaram primeiro!

Página da revista com um roteiro enxuto e texto profundo, poético e contemporâneo.
Página da revista com um roteiro enxuto e texto profundo, poético e contemporâneo.

O roteiro é claro e preciso, vai direto ao ponto. O texto é poético e ao mesmo tempo prosaico e totalmente moderno. Sete Estrelas é uma fábula tão moderna que é preciso nos lembrarmos que a história se passa em 1939, na longínqua Canto dos Milagres. Todos os elementos de uma excelente HQ estão lá para serem saboreados e digeridos, e é você quem precisa dela!

Mais uma página deste primoroso trabalho independente!
Mais uma página deste primoroso trabalho independente!

É você quem tem que correr para ler, porque pode acontecer de não encontrar mais nem um exemplar para chamar de seu! Eu agradeço a todos os deuses do cosmo universal por ter tido o privilégio de contemplar Sete Estrelas com meus próprios olhos cansados. E estou realmente pensando em como será a sua vida por nunca ter lido… Lamento mesmo por você, meu amigo!

Quem sabe você consiga ter o privilégio de ler a HQ do Sete Estrelas? Tente aqui nesse link da Editora Universo! A revista de 20 páginas é totalmente colorida e traz a arte espetacular de Gabriel Santana e as cores místicas de Adriano Félix. Estamos rogando a todos os deuses do cosmo que você seja bem sucedido em seu intento!

2 COMENTÁRIOS

  1. Matéria veiculada no Domain Geek por Sandro Marcelo Farias​, hoje talvez um dos maiores e isentos ensaístas do tema Quadrinhos no Brasil acerca de SETE ESTRELAS, meu personagem publicado pela Universo Editora (leia-se Gil Mendes Lorde Kramus​ ). Sua crítica, sou suspeito pra falar neste momento, mas traz justamente o que imaginamos para o personagem nesta “cosmogonia” do SETE ESTRELAS. Em todas as suas matérias veiculadas sobre o Quadrinho Independente, feito sempre a mais de “quatro-mãos”, com todas as dificuldades e parceiros fantásticos, Sandro Marcelo Farias tem se esmerado em suas falas de um João Batista neste deserto de oportunidades, mas que clama aos quatro ventos, com toda propriedade, sobre a potencialidade de nossas produções. Nesta particular abordagem do ensaísta, quadrinhista, editor e também parceiro, registramos que se abre com sua voz mais um canal de apoio e divulgação do Quadrinho Independente. Agradecemos, man! E por último, parabenizar ao Domain Geek pela a grande aquisiçao em seu staff.

Deixe uma resposta